Resenha - Fugitivos, Carlos Barros.


Intenso, cheio de emoções e apaixonante. Bem antes de ser lançado, o livro já fazia sucesso nos espaços das redes literárias e colecionava muitos fãs, que se nomeavam #somostodosfugitivos. Uma campanha positiva e bem animadora, que despertava a curiosidade dos leitores, inclusive a minha. Foi assim, que tive o interesse de conhecer mais sobre esse sucesso e tive a oportunidade de me tornar parceira desse brilhante autor. E mais ainda, tive a chance de me apaixonar por essa linda história! 




Editora: Giostri                                                                                                                         Ano:  2015                                                                                                                           Nº de Páginas: 647                                                                                                                   Autor:  Carlos Barros.


Sinopse: De onde vem a amizade? O que é necessário para se ter uma vida melhor? 
Caio, um carioca de 15 anos, perdeu os pais em uma tragédia e foi morar com a avó em Belo Horizonte. Cheio de traumas, causados pelo incidente que vitimou sua família, ele não tem mais desejo de retomar sua vida. Fernanda, de 15 anos, protege seu irmão Jonas, de 11 anos, do temperamento violento do pai. Ela se apaixona por Caio, e este por ela. O sentimento que nutrem, será o catalizador de uma briga que colocará em risco a segurança dos dois. Gabriel, de 17 anos, e Bianca, sua irmã de 5 anos, perderam a mãe, por ela ser viciada e ter sofrido uma overdose, e o pai está preso. Ficam sob a tutela da Justiça e do irmão mais velho, de 20 anos, que apoia o pai em planos escusos para melhorarem de vida. 
Em Fugitivos, acompanhamos o amor nascer entre Caio e Fernanda, e a força da amizade que surge entre os cinco jovens, de forma tão intensa, que o drama de cada um deixa de ser individual e passa a ser de todos. No momento em que suas histórias se misturam, eles precisam fugir para salvarem suas vidas. Nessa corrida emocionante, que atravessa os estados de Minas Gerais, Bahia, Alagoas e Pernambuco, mais de dois mil quilômetros, iremos descobrir seus sonhos, seus medos, suas tristezas e suas alegrias, tudo envolto por muito suspense, perigo, romance e reviravoltas surpreendentes.



            Com um enredo envolvente e descritivo, o livro Fugitivos traz uma história baseada principalmente na amizade que é construída entre cinco amigos. Aos quais, mesmo sendo tão novos, já enfrentam situações difíceis em suas vidas. E juntos aprendem a lidar com suas dores, tanto as físicas quanto as emocionais, perdas, paixões e frustações.
            O livro se inicia com a história de Caio. Um adolescente de apenas 15 anos, que tem sua vida virada ao avesso quando precisa se mudar do Rio de Janeiro para Belo Horizonte, para ir morar com sua avó Teresa, depois de perder seus pais em um acidente de carro. O luto é um dos momentos mais difíceis na vida de um indivíduo, ainda mais quando se trata de um adolescente.
            Em Belo Horizonte, Caio conhece Jonas. Um menino de 11 anos, super engraçado e tagarela. E também conhece a sua irmã Fernanda, de 15 anos. Eles também passam por uma situação bem delicada dentro de sua própria casa, com uma mãe omissa e um pai muito violento. Assim, a violência doméstica se constitui como outro tema bem importante do livro.
            No decorrer da história, Caio também conhece Gabriel. Um jovem de 17 anos, ex-namorado de Fernanda e que trabalha na banca da dona Teresa. Sua mãe morreu de overdose há alguns anos e seu pai está preso. Apesar de morar com seu irmão Mauro, um irresponsável que compactua dos planos do pai, ele é o único responsável por Bianca. Uma menina adorável de apenas 5 anos e que se torna a alegria e motivação do seu irmão.
            A amizade entre eles brota de uma forma tão intensa e imediata. Pouco a pouco, o vínculo que os une faz com que sejam capazes de enfrentar juntos, todas as dores e problemas do dia a dia. No meio dessa união, nasce também o amor entre Caio e Fernanda, um amor tão simples e verdadeiro. Aonde o autor nos traz momentos tão marcantes e adoráveis do primeiro amor.
          Durante a maior parte da narrativa, cujo próprio título nos sugere ser uma aventura, o leitor tem a possibilidade de vivenciar diversos momentos intensos. E o ápice consiste na fuga, propriamente dita, dos cinco amigos. Tudo começa quando eles se encontram no extremo dos seus problemas, e a única solução no momento parece ser sumir sem deixar pistas. Longe de todos os conflitos, eles aproveitam sua viagem na Kombi verde e vivem deliciosos momentos.
            E o melhor de tudo isso, é que o autor nos relata com riquíssimos detalhes, descrevendo minuciosamente cada lugar e cada cena. Para o leitor que gosta desse aspecto, como é o meu caso, tem a oportunidade de vivenciar ainda mais cada situação.
            A história de cada um desses personagens é tão riquíssima, que seria possível até mesmo fazer uma resenha e/ou estudo de caso de cada um. O autor construiu personalidades com características surpreendentes, dentro de um cenário comum da cidade de BH, e o melhor, passando por momentos tão complexos. São pontos positivos que fazem o leitor se apaixonar ainda mais pela leitura e também se identificar, já que as situações fazem parte de nossas realidades ou até mesmo de pessoas mais próximas.
            E pontos positivos é o que não faltam nesse livro. A própria dinâmica é uma característica que deve ser parabenizada. O autor nos conta a história através da percepção de cada personagem, e ainda consegue fazer isso com um narrador onisciente. E faz de uma maneira bem significativa, de forma que os capítulos sejam bem coerentes e não atrapalhe a leitura. Isso permite que o leitor fique bem mais interessado em saber os próximos capítulos.
            No meio de todos esses aspectos positivos, é importante destacar a riqueza de assuntos abordados em uma só narrativa. Sim, e o autor conseguiu reunir uma série de assuntos tão delicados e difíceis até mesmo de falar. E ele conseguiu fazer isso de uma forma tão leve, e que diante disso nos trouxe tantas reflexões. Além da linda mensagem de amizade, o autor também nos lembra do amor, superação e esperança. Nos lembra que mesmo nos momentos mais difíceis da vida, devemos dar espaço para esses sentimentos.
            O livro é mesmo fantástico. Daqueles que o leitor tem vontade de ler inúmeras vezes, eu mesma tive a alegria de ler duas vezes. O problema, e único ponto menos positivo para mim, é o seu tamanho. A história foi tão empolgante para o autor, que seria tão difícil dividir em dois livros. Apesar de que, acredito que seja empecilho apenas para uns, para mim não é um ponto tão frustrante não. Já que muitas vezes, por causa de inúmeros fatores, não conseguimos adquirir as continuações.
            Esse é apenas um pequeno ponto no meio de tantos que foram destacados no livro, que também possui uma boa diagramação. E que apesar da linguagem mais formal, a leitura é fácil e consegue fazer com que o leitor se envolva completamente com a história.
            Diante disso, eu só tenho elogios para a primeira obra do autor. Carlos Barros realmente começou com pé direito no âmbito da literatura nacional e se tornou um dos meus preferidos. Eu super recomendo essa deliciosa aventura.



p.s.: confesso que minha resenha demorou muito para ser publicada. Falar de uma obra tão intensa e cheia de conteúdo não é mesmo uma tarefa fácil quando se tem uma vida tão corrida. Não poder contar todas as maravilhas do livro e dos personagens torna a tarefa mais difícil ainda. Então, me permiti também fazer uma pequena analise de dois personagens do livro.... se quiserem eu posto depois.  




Comentários